Brasileiros na Itália, superando as barreiras da adaptação


Por do Sol em Milão

Desejada por muitos brasileiros, a Itália é um país europeu que deixou uma marca poderosa na culinária e na cultura para o mundo.

No Brasil há 30 milhões de descendentes de italianos e uma boa parte opta por morar na Itália com sua família ou simplesmente tentar um novo rumo para a vida. Por outro lado, há os brasileiros natos que decidem se mudar para o país da massa e da pizza em busca de segurança e qualidade de vida.   

Conversamos com a Juliane Daitschman Toniolo, formada em relações públicas, mãe de quatro filhos e esposa de um cidadão Italiano. Na conversa ela nos conta como foi sua jornada e adaptação com a língua, a escola e sua vida antes no Brasil. 

Antes de morar na Itália, Juliane tinha uma empresa e uma vida confortável no Brasil, mas a busca por novas experiências falou mais alto e a família decidiu morar na Itália. 

1 - Brazil Lines - Qual o seu nome completo, idade e profissão?

Juliane - Juliane Daitschman Toniolo, 41 anos e sou formada em Relações Públicas.

2 - BL - Por que você se mudou para a Itália? Qual foi o seu motivo?

Juliane - Tenho 4 filhos, então eu e meu marido decidimos ir para a Itália para proporcionar uma qualidade de vida e segurança melhor para a nossa família. 

3 - BL - Como você se sentiu no começo? Quais problemas você enfrentou?

Juliane - Não foi muito fácil, tínhamos uma vida boa no Brasil, tanto eu quanto meu marido tínhamos empresa, tínhamos uma vida de certa forma confortável, mas decidimos largar tudo para poder buscar algo maior e viver uma outra experiência. Sair da zona do conforto não é fácil! Enfrentamos problemas com o idioma, diferença cultural e o pré-conceito por ser imigrante. Então além de passar por problemas emocionais tivemos dificuldades para poder recomeçar do zero também, descobrir como fluir até chegar onde desejamos.

4 - BL- Como você se virava no início?

Juliane - Me virava como dava, além de ajuda e informações de outros brasileiros eu usava muito o google tradutor, eu sempre fui uma pessoa que sempre ia para cima do problema, então eu não tinha medo ou vergonha, mas claro que isso não me impediu de chorar por diversas vezes de desespero ou sentir vontade de voltar para o Brasil. Porém como disse, você não pode ter medo, tem que enfrentar o problema e não se deixar paralisar.

5 - BL - E as barreiras com a língua, você já falava italiano ou aprendeu lá? 

Juliane - Depois de 7 dias na Itália já estávamos matriculados em uma escola para estrangeiros, e as crianças em uma escola normal. Viemos com um básico do Italiano, mas que praticamente não serviu para nada porque além dos Italianos falarem rápido existe os dialetos, mas mesmo assim as crianças com 3 meses já estavam falando e entendendo tudo por conta da escola, já eu e meu marido entendíamos, mas o falar ainda era meio robótico, a nossa ajuda foi o google tradutor até conseguir falar adequadamente. Até hoje posso dizer que ainda estudo o italiano.

6 - BL - Que tipo de visto você e sua família tem? O processo para conseguir foi difícil?  

Juliane - Meu marido e filhos tem cidadania Italiana, um processo que durou uns 4 meses. O meu por ser casada quando chegamos aqui eu tive a permissão para residir, um processo fácil e tranquilo também, porem um pouco burocrático devido a tanta documentação que precisei apresentar. 

7 - BL - Como foi a receptividade do povo italiano? Eles são abertos aos estrangeiros ou são mais fechados?

Juliane - Depende, isso vai de italiano para italiano. Mas quando chegamos foi bem na época quando vários refugiados entraram na Itália, então foi um pouco complicado, mas só com o tempo que conseguimos dividir essas coisas e nos relacionar bem, principalmente porque decidimos não nos envolver muito com os brasileiros, queríamos nos envolver mais com os italianos para poder imergir na cultura deles. Mas aos poucos as coisas foram melhorando.

8 - BL - Como foi o processo pra você encontrar moradia (casa/apartamento) na Itália?

Juliane - Foi um pouco difícil, levamos mais ou menos uns 18 não pelo fato de ser estrangeiros, no total ficamos 3 meses procurando. No final decidimos voltar em uma imobiliária que já havíamos ido e perguntar novamente, porque era impossível um tempo depois eles falarem que não tinham nada ainda. Alguns lugares falavam não só porque percebiam que éramos imigrantes, mesmo mostrando renda eles negavam. No início morávamos em quarto na casa de outras pessoas, mas depois deu tudo certo e conseguimos alugar um apartamento.

9 - BL - Como é a sua rotina? Você trabalha ou estuda?

Juliane - De manhã eu cuido dos meus filhos e da casa, a tarde trabalho online, e também trabalho com as minhas redes sociais mostrando sobre como é a nossa vida na Itália. Também estou fazendo aulas particulares de italiano em casa devido a pandemia.

10 - BL - Como são as questões relativas à segurança, saúde e educação por aí?

Juliane - Segurança - Não tem nem como comparar, morávamos em Curitiba no Bairro Água Verde e estava bem perigoso, decidimos vim mesmo quando o nosso vizinho foi assaltado a mão armada. Aqui a segurança é muito boa, meus filhos ficam à vontade, não tenho grade em casa, moro em um apartamento térreo e nunca tive problemas, minha sacada da direto para a rua e é muito tranquilo. 

- Saúde é muito boa e gratuita para consultas básicas, mas para especialistas você marca e paga um valor bem baixo e é muito boa também.

 - Educação foi um dos motivos pelo qual nos mudamos também, a educação pública é muito boa, existe os particulares, mas a maioria é pública. Além do italiano as crianças aprendem o inglês e o alemão na escola. As escolas procuram inserir as crianças na pratica na cultura italiana o que é muito bom, eles viajam bastante pelas escolas e inclusive incentivam os alunos a fazerem intercâmbio na Alemanha.

11 - BL - O que você mais gosta, que mais te surpreendeu, ai na Itália?

Juliane - O que mais me surpreendeu foi a acessibilidade as coisas, todo mundo consegue fazer um pouco de tudo, essa igualdade é muito aparente aqui, não existe muito essa divisão do pobre e do rico. Eles vivem muito simples, mesmo quem tem muito dinheiro vive uma vida muito simples. Além de poder viajar para qualquer lugar, tudo é perto e acessível, a comida também é maravilhosa. Mas a acessibilidade é a que mais me surpreende!

12 - BL - Qual a sua visão da vida em geral da Itália? É mais corrida ou mais tranquila do que no Brasil?

Juliane - Na Itália temos uma qualidade de vida melhor, mais calma e tranquila, antes eu tinha uma vida muito corrida no Brasil e aqui posso trabalhar de casa e ter tempo de qualidade com minha família. O italiano tem muito de você poder viver a vida, desfrutar a vida coisa que não tínhamos no brasil.

13 - BL - Como você compararia a sua vida no Brasil e na Itália?

Juliane - Pode parecer estranho mas não tem como comparar, são nações diferentes com pensamentos diferentes, e aí eu posso te dizer que no Brasil eu tinha mais estabilidade só que não tinha qualidade de vida e segurança, aqui eu encontrei o oposto, aqui mesmo ainda não tendo a estabilidade que tinha no Brasil aqui minha vida é menos corrida  e tenho muito mais qualidade de vida e segurança, pois aqui na Itália as funções básicas para uma família o governo  nos proporciona muito bem (educação, segurança e saúde). Não posso comparar porque são realidades muito diferentes. 

14 - BL - Além dos amigos e familiares, o que você mais gosta e sente falta do Brasil?

Juliane - Comida, por exemplo, coxinha, pão de queijo, churrasco, etc…mesmo que eu tente fazer aqui nunca vai ser a mesma coisa de que no Brasil.

15 - BL - Você vem com regularidade ao Brasil? Já voltou alguma vez após a mudança?

Juliane - Sim, já voltamos 2 vezes, pelo menos a cada 2 anos, mas vou te dizer que as pessoas preferem vir para cá do que nós irmos para o Brasil.

16 - BL - Você pretende voltar a morar no Brasil?

Juliane - Não posso dizer que nunca porque seria errado da minha parte, mas no momento não temos vontade de voltar não.

17 - BL - O que você diria para alguém que está pensando em ir morar na Itália? Que dicas daria?

Juliane - Após a decisão de mudar tenham bastante equilíbrio emocional, e ter em mente que existe um tempo para tudo se encaixar, mas sejam perseverantes, no começo é mais difícil, mas depois as coisas vão engrenando. Façam um planejamento, nunca venham na louca, tenham um plano, organize suas financias e procure saber um pouco do idioma, principalmente se você for vir com a sua família. Tenho um canal no Youtube onde mostro muito a realidade daqui, mostro também nossa rotina no Instagram, se você tem interesse de vir para a Itália me segue lá por que com certeza vocês terão muita informação boa lá e vou poder te ajudar com muitas dicas.



Se você decidiu se mudar do Brasil assim como o nossa entrevistada, nós da Brazil Lines, teremos o prazer de ajuda-lo com a sua mudança. 

Acreditamos que cada objeto da sua casa representa uma página registrada de um momento vivido, e com esse pensamento trabalhamos para oferecer nosso serviço especializado com total segurança, pois estaremos manuseando seu bem mais precioso, seja ele de valor estimado ou sentimental e assim ajudando a acrescer páginas que juntas formam a história de sua vida. 

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo