Adaptação escolar em mudanças para outro país


Fazer mudança nunca é das tarefas mais fáceis. Desmontar as coisas, sua cozinha, sua sala, seu quarto. Ter que se desfazer de algumas coisas, comprar outras tantas. E quando é uma mudança internacional, é mais difícil ainda. Além da dificuldade com o mobiliário, muitas vezes existem também as barreiras do clima, da língua e, até mesmo, do fuso horário.

Agora, se para os adultos já é extremamente complicado, para as crianças é muito mais difícil. Isso se dá pelo fato que, além do clima e língua diferentes, a escola se torna um grande desafio. É durante a vida escolar que, geralmente, as pessoas desenvolvem as habilidades e amizades que irão conservar para a vida. E, quando existe uma mudança inesperada, é normal que as crianças se sintam perdidas.

E um dos fatores que causam essa sensação é a falta de comunicação. Uma criança que foi alfabetizada em português, e com pouco contato com uma língua estrangeira, pode ter dificuldade e, em alguns casos, até vergonha de arriscar a nova língua. Por não ter uma pronúncia perfeita e desconhecer muito do novo idioma, as crianças pensam que podem ser vítimas de brincadeiras e zoações dos colegas.

Mas, para ajudar na adaptação da mudança para a nova realidade, muitas escolas no exterior tem um programa de aprendizado, com professores e tradutores a disposição dos novos alunos. Em algumas escolas estrangeiras é possível, nos contatos iniciais, até contar com provas traduzidas para a língua materna do estudante. Isso se dá pelo fato que o domínio do conhecimento é mais importante do que o idioma. Com o passar do tempo, e a adaptação, o tempo desses professores e tradutores vai diminuindo gradualmente, até que não seja mais necessário.

Um outro fator que os pais tem que levar em conta em uma mudança para outro país é o calendário escolar. A maior parte dos países do hemisfério norte tem um calendário escolar diferente. No Brasil, às aulas tem início no começo do ano (geralmente em fevereiro) e término entre novembro e dezembro. Em outros países, as aulas tem início em setembro e se estendem até maio do ano seguinte. Por isso, dependendo da época em que a mudança é feita, as crianças podem ter que ficar em uma série que já haviam passado aqui no Brasil. E esse pode ser um fator positivo, pois sem uma preocupação tão grande com o conteúdo, eles podem se focar no aprendizado da nova língua e na construção de vínculos com os colegas. Por isso, quando se trata de mudanças internacionais com crianças em idade escolar, a Brazil Lines dá duas dicas valiosas:

A primeira dica é para que os pais façam um esforço maior para ficarem mais presentes na vida dos filhos, sobretudo nos primeiros meses. É normal que a criança tenha vínculos ainda mais fortes com a família, pois criar uma relação de amizade e confiança com os novos amigos pode demorar um pouco.

E a segunda dica é focar na adaptação. Deixe a mudança em nossas mãos. Nossos colaboradores são extremamente eficazes e competentes e, com certeza, cuidaremos das suas coisas como se fossem nossas!

#adaptaçãoescolar #mudançasinternacionais

PARANÁ 
Rod. BR 116, 17817 (Linha Verde)

81.690-310 - Curitiba-PR
 

(41) 3073-0296 - WhatsApp

RIO GRANDE DO SUL

Rua São Leopoldo, 309

93.216-460 - Sapucaia do Sul-RS
 

(51) 3474-3445 - WhatsApp

SANTA CATARINA
(48) 3036-0428 - WhatsApp

DEMAIS REGIÕES

(41) 3073-0296 - WhatsApp